Em CONTINUIDADE às COMEMORAÇÕES pelos 10 Anos a comédia mais bem falada de São Paulo faz TEMPORADA POPULAR no TEATRO SANTO AGOSTINHO.

O ator, produtor e diretor DARSON RIBEIRO continua comemorando seu feito pelos 10Anos da comédia que já ultrapassou 350mil espectadores e foi eleita a mais bem falada de São Paulo, com APRESENTAÇÕES ÚNICAS AOS SÁBADOS DE JUNHO (01, 08, 15, e 22) às 20h com PREÇO POPULAR.

O TEXTO

Utilizando-se dos estereótipos masculinos para tratar falhas masculinas, é recheado de situações divertidas sobre o cotidiano dos homens. A cada teatro e/ou região, Darson atualiza a dramaturgia visando a sinergia com o público – um dos méritos da peça.

“Concebi uma direção ágil a partir das idiossincrasias masculinas para brincar com assuntos difíceis à primeira vista (e até hoje tabus), como traição, machismo, narcisismo, sexo – que, quando falados em público, constragem – mas, libertam. E assim, meu objetivo é que o público absorva de cara tais assuntos que são raramente expostos, quase nunca discutidos, mas, que na peça são apresentados de forma lúdica e de fácil acesso”, afirma Darson.

Mesmo tendo cada um seu momento de divã com a psicanalista (de quem só se ouve a voz, e no caso, a inconfundível de Susana Vieira) o tête-à-tête freudiano acaba acontecendo entre os três e na antessala do consultório. Ora consciente, ora inconsciente, mas, muito espontâneo, as personsagens vão desconstruindo condições e comportamentos ultrapassados, e por isso, agradam não só as mulheres, mas, os homens.”

O RECEIO DA PSICANÁLISE

A voz da temida Dra. Maczka foi pensada por Darson diante do ainda receio que se tem desse profissional, principalmente pelos homens. Analisado há muitos anos, o diretor teve e ainda tem exemplos e experiências de sobra para poder concatenar as teorias freudianas, intercalando-as com muita destreza. Assim, a psicanálise vem como alavanca das mudanças internas e externas na vida dos três, expondo falhas, vícios e patologias de três tipos masculinos que fazem com que o público os identifique com muita facilidade e consequentemente se envolvam e torçam pela “salvação” (elaboração, numa linguagem psi) dos três. Sempre tendo como ponto de partida e de chegada, as mulheres. Por esse motivo a escolha de uma voz marcante como a de Susana Vieira.

SINOPSE

Para não perderem seus homens amados, as respectivas mulheres Kelly, Tássia e Marjorie sugerem a terapia como última tentativa da relação. Assim, o bombeiro machista Renato Paes de Barros Seabra, que usa o sexo para suprimir seu complexo de inferioridade; o ginecologista Carlos Eduardo Carrara Travertino (nome de mármore) que se autoprojeta pelo alto grau de narcicismo; e o executivo Frederico Freitas Fernandes que se depara com a trágica traição da mulher – correm para buscar socorro no divã freudiano, e, sem querer e surpreendentemente vão dividindo agruras e se conhecendo durante o ano de análise. Três homens distintos com profissões também distintas – escolhidas por Darson diante do ‘fetiche feminino’: um executivo (Darson), um ginecologista e um bombeiro. (Billi e Chelucci), tornam-se grandes e fiéis amigos que, descobrem o valor do relacionamento.

AS PERSONAGENS

Darson Ribeiro é o executivo Frederico Freitas Fernandes, que enfrenta a traição da mulher depois de dezoito anos de casamento. Perturbado e deslocado, constata na terapia que vivia sob a manipulação da esposa Marjorie, mas, com as dicas e ensinamentos tanto do divã, quanto dos dois outros amigos analisandos, passa por uma mudança radical – externa, mas, principalmente interna, porque perdoa sua mulher.

Guilherme Chelucci é o bombeiro sedutor Renato Paes de Barros Seabra, bronco e ingenuamente machista, que vai para a terapia para enganar a pretendida Kelly, mas, além de aprimorar seu vocabulário, comportamento e atitude, constata que nem sempre “amor é amor e sexo é sexo”.

Fernando Billi é o gineco Carlos Eduardo Carrara Travertino, cujo alto grau de narcisismo já implícito no nome de mármore, o impede de perceber o mundo feminino à sua volta, principalmente da mulher que ama: Tássia. Expondo a superproteção da mãe e a fragilidade diante das mulheres, se depara com sentimentos e emoções jamais explorados.

A PRODUÇÃO

Muito bem elaborada e cuidada, o cenário enche os olhos. Persianas de madeira especialmente confecionadas pela Hunter Douglas/Casa Mineira, assim como um gigante tapete que sai do divã, inspirado por Darson na trompa de falópios – num vermelho elegante, assim como os figurinos que entre dezenas de trocas rapidíssimas impõem a caracterização certeira de cada um dos três, entre cores, formas e modelos.

O “divã” rompe a quarta parede por meio de mudanças de luz, objetos cênicos, criando diversas ambientações como academia, balada, sauna, apartamento e consultório, e a própria plateia numa cena emblemática dos três envolvendo o público

FICHA TÉCNICA

Título, Idealização e Direção Geral: Darson Ribeiro

Texto: Miriam Palma (título original Desesperados)

Elenco: Guilherme Chelucci, Fernando Billi e Darson Ribeiro

VOZ DA DRA. MACZKA: SUSANA VIEIRA

Voz da secretária: Cecilia Arienti

Cenografia, Trilha, Luz e Figurino: Darson Ribeiro

Assessoria de Imprensa: DR Produções

Fotos: Moisés Pazianotto

Assistência Geral: Bianca Arcanjo

Design Gráfico: Callegares

Camarim: Marco Alvarenga

Montagem de Palco e Operação de Luz e Som: Henrique Polli

Campanhas e Mídia: Leo Barbosa-King Arts Online

ARMAZENAMENTO OFICIAL GOODSTORAGE

SERVIÇO

HOMENS NO DIVÃ – TEMPORADA POPULAR COMEMORATIVA AOS 10 ANOS

DIAS 01, 08, 15 e 22/06/24 às 20h

GÊNERO: comédia (estreou em 21/06/2013)

DURAÇÃO: 100 minutos sem intervalo

INDICAÇÃO ETÁRIA: 12 anos

LOCAL: Teatro Santo Agostinho

Rua Apeninos, 118, Vergueiro – São Paulo – SP – 01533-000 FONE 11-3209-4858

Capacidade: 690 (412 plateia e 278 Mezanino)

INGRESSOS: R$ 40,00 e R$ 20,00

INFORMAÇÕES E VENDAS: www.teatrosantoagostinho.com.br ou na Bilheteria do Teatro de quinta a domingo das 15h00 às 20h00 e em dias de espetáculos até o início dos mesmos.

ACEITA CARTÃO DE DÉBITO E CRÉDITO | ACESSO UNIVERSAL

CAFÉ | ESTACIONAMENTO |SEGURANÇA EXTERNA

Voltar